Dhatus (Tecidos)

OS SETE TECIDOS CORPORAIS – SAPTA DHATUS

Os dhatus são as variedades básicas de tecidos que compõem o corpo físico humano. A palavra dhatu vem da palavra sânscrita que significa “aquele que entra na formação do corpo”; a raiz Daa (dha) significa “suporte”, aquele que aguenta.

A formação dos dhatus no corpo humano são a expressão perfeita manifestada da natureza e inteligência divina que ao agir, de acordo com uma ordem precisa e segundo leis naturais, que o próprio homem ainda não conseguiu desvendar, produzem o corpo físico humano.

Os Dhatus primários são em número de sete: tecidos reprodutivos (Sukra dhatu); medula do osso e tecidos nervosos (Majja dhatu); ossos (Asthi dhatu); tecidos gordos (Meda dhatu); tecidos do músculo (Mamsa dhatu); forma as células do sangue (Rakta dhatu); plasma (Rasa dhatu).

A principal característica da histologia Ayuvédica, ou seja o conceito da formação do tecido humano, é a de que cada um deles é formado a partir do tecido prévio em ordem ascendente de complexidade. Assim sendo, quando a comida é ingerida, ela é digerida até chegar ao intestino delgado na forma líquida, ahara rasa, ou essência da comida. Com a ajuda do ahara rasagni, cada dhatu tem o seu próprio agni, este ahara rasa é convertido em rasa dhatu, plasma sanguíneo – o primeiro e mais simples tecido.

Agora, rasa dhatu – catalisado por rasagni – é transformado em rakta dhatu, onde forma as células do sangue, o segundo tecido corporal essencial fundamental. Rakta dhatu por seu lado, com a ajuda de raktagni, torna-se mamsa dhatu, músculo, e assim, sucessivamente, até atingir o sukra dhatu – os tecidos reprodutores.

Juntos, os dhatus e upadhatus constituem a corpulência física do corpo. O upa dhatus incluem cabelos, unhas, ligamentos, etc.;

Cada dhatu consiste de paramanus, células infinitesimais incontáveis. Cada paramanu contém inumeráveis suksma srotas, canais, poros, através dos quais cada um recebe nutrientes e energias sutis e elimina materiais de desperdício. Pelo fato de os dhatus serem saturados com poros, o corpo humano, pode-se dizer, está preenchido com poros srotomaya. Os srotas de cada dathu são únicos na sua estrutura e função e nos materiais que se movem através deles. O estado de saúde de cada dhatu bem como o seu relativo vriddhi/kshaya (excesso/deficiência, aumento/diminuição) é estabelecido pelo terapeuta ayurvédico.

2 Comentários

  1. Estefania Aquila said,

    06/10/2012 às 16:44

    Agradecida, gostei muito por ser bem didático


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: